Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/cialabor/public_html/libraries/cms/application/cms.php on line 470

Vozes e violão. Os mais sensíveis garantem que são deste plano e do outro plano. E uma imensa difusão de energia em torno do trabalho musical do Grupo de Arte Tim e Vanessa, que aos poucos ganha espaço no movimento espírita, com foco na simplicidade e na valorização das letras que transportam a quem se entregue a ouvi-las, aos tempos do Evangelho.

Eles reúnem em torno de si um forte apoio dos amigos e participantes da Mocidade do Grupo Espírita O Consolador e também de pessoas vinculadas à arte, que conheceram há 13 anos, participando do Encontro de Arte Espírita Estradas.

Acostumados a se apresentar na região da capital mineira, o Grupo Tim e Vanessa não imaginava que as músicas que compõem seus três CDs fossem tão conhecidas no movimento espírita. Depois de se apresentarem, em São Bernardo do Campo, no auditório da Instituição Assistencial Meimei, em prol do Projeto Descoberta, o grupo se reuniu para conceder entrevista ao Correio Fraterno, o que acabou se tornando uma grande oficina de reflexão em torno do tema Arte Espírita.

Este artigo visa a, resumidamente, defender a cultura poética e seu valor dentro do movimento de divulgação espírita.

Se listarmos os grandes propulsores da evolução humana, decerto o pensamento contínuo será decisivo pilar, desdobra-se na linguagem articulada, dentre seus segmentos encontraremos a escrita como marco evolutivo, a literatura como decorrência, a poesia como um dos refinamentos.

Escuta, alma querida!
Ante as perturbações e os empeços da vida,
Onde não possas ajudar
A dissipar a treva e extinguir o pesar,
Nada fales, em vão!...
Uma palavra, às vezes, tão-somente,
Na moldura de um gesto irreverente,
Basta para espancar o coração.

Se anotas sombra e dor, por onde jornadeias
Dá consolo e respeito às aflições alheias...
Tempo vai, tempo vem...
E assim como o carvão se faz diamante puro,
Na forja do destino, em louvor do futuro,
Todo o mal se converte em coluna do bem.

Usa o verbo, esparzindo novas luzes,
Não condenes, não firas, não acuses!...
Onde enxergares pedra, lodo, espinho,
Cobre de paz e amor as lutas do caminho.

Lembremos nossos erros, teus e meus!...
Todos sofremos provas, alma boa,
Trabalha, serve, ajuda, ama e abençoa
E encontrarás contigo a presença de Deus.

Do Livro: Antologia da Espiritualidade - FEB